Visão sistêmica do Pensamento Sistêmico: uso de mapas conceituais Outros Idiomas

ID:
13072
Resumo:
Existem contribuições na literatura sobre Pensamento Sistêmico (PS), porém apresentadas de forma dispersa impedindo a visualização do relacionamento entre elas e o acúmulo de conhecimentos produzidos na área. Este artigo busca evidenciar as principais teorias e metodologias ligadas à estruturação do PS e seus relacionamentos, a partir de um levantamento retrospectivo de 1960 a 2010. A Gestão do Conhecimento (GC), embora seja mais utilizada por empresas, pode ser aplicada para construção de novos conhecimentos, atraves do uso de diferentes ferramentas. Para organizar e relacionar os diferentes conceitos e autores foi utilizada a ferramenta mapas conceituais. Esses mapas permitem representar graficamente conceitos, sendo úteis na localização e identificação de relacionamentos entre teorias e conceitos, o que pode levar a formação de novos conhecimentos. Os resultados da busca permitiram elaborar um mapa com os conhecimentos acumulados sobre o PS, o que possibilitou uma visão mais ampla sobre o tema.
Citação ABNT:
DOLCI, P. C.; BERGAMASCHI, E.; VARGAS, L. Visão sistêmica do Pensamento Sistêmico: uso de mapas conceituais. Revista de Administração FACES Journal, v. 12, n. 1, p. 33-50, 2013.
Citação APA:
Dolci, P. C., Bergamaschi, E., & Vargas, L. (2013). Visão sistêmica do Pensamento Sistêmico: uso de mapas conceituais. Revista de Administração FACES Journal, 12(1), 33-50.
Link Permanente:
http://spell.org.br/documentos/ver/13072/visao-sistemica-do-pensamento-sistemico--uso-de-mapas-conceituais/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
ACKOFF, R.L.; SASIENI, M. W. Pesquisa Operacional. Rio de Janeiro: LTC, 1971.

ACKOFF, R. L. The future of operational research is past. Journal of the operational Research Society, [S. l.], v. 30, n. 2, p. 93-104, 1979.

ANDRADE, A.; RODRIGUES, L.; SELEME A.; SOUTO, R. Pensamento sistêmico: caderno de campo – o desafi o da mudança sustentada nas organizações e na sociedade. Porto Alegre: Bookman, 2006.

ASHBY, W. R. An Introduction to Cybernetics. London: Chapman & Hall, 1956.

BASKERVILLE, R.; DULIPOVICI, A. The theoretical foundations of knowledge management. Knowledge Management Research & Practice, [S. l.], v. 4, n. 2, p. 83-105, 2006.

BERTALANFFY, L. V. Teoria geral dos sistemas. Petrópolis: Vozes, 1975.

BERTALANFFY, L. V. The history and status of general systems theory. Academy of Management Journal. [S. l.], p. 407-416, Dec. 1972.

CAÑAS, A. J.; CARFF, Roger; HILL, Greg; CARVALHO, Marco; ARGUEDAS, Marco; ESKRIDGE, Thomas C.; LOTT, James; CARVAJAL, Rodrigo. Concept Maps: Integrating Knowledge and Information Visualization. Knowledge and Information Visualization, LNCS 3426, p. 205 – 219, 2005.

CAPRA, F. A. Teia da Vida - Uma Nova Compreensão Científi ca dos Sistemas Vivos. São Paulo: Cultrix/Amana-key, 1996.

CAPRA, F. O Ponto de Mutação. São Paulo: Cultrix, 1982.

CARNEIRO, M. F. dos S. Mapa mental: mais um instrumento a ser considerado no seu cinto de mil e uma utilidades. Revista Mundo Project Management, [S. l.], 2005.

CHECKLAND, P.; SCHOLES J. Soft Systems Methodology in Action. Chichester: John Willey & Sons, 1990.

CHECKLAND, P. Systems thinking, Systems practice: Includes a 30Year Retrospective. Chichester: John Wiley & Sons, 1999.

EDEN, C. L.; ACKERMANN, F.; CROPPER, S. The Analysis of Cause Maps. Journal of Management Studies, [S. l.], v. 29, n. 3, p. 309324, 1992.

EMERY, F. E. Systems Thinking. Harmondsworth: Penguim Books, 1969.

FISCHER, G.; OSTWALD. Knowledge Management: Problems, Promises, Realities, and Challenges. IEEE Intelligent Systems, [S. l.], v. 16, n. 1, p. 6072, 2001.

FORRESTER, J. System Dynamics and the Lessons of 35 Years, in the Systemic Basis of Policy Making in the 1990s. Cambridge: MIT Press, 1991.

FRASER, K.M. Theory based use of concept mapping in organization development: creating shared understanding as a basis for the cooperative design of work changes and changes in working relationships. Department of Education. New York: Cornell University, 1993.

FREEMAN, L. A. The effects of concept maps on requirements elicitation and system models during information systems development. INTERNATIONAL CONFERENCE ON CONCEPT MAPPING, 1., 2004, Pamplona. Annalls… Pamplona: [s. n.]. 2004. p. 1-8.

FREITAS, J. S.; COTA JÚNIOR, M. B. G.; CHENG, L. C. O Soft Systems Thinking e a Soft Systems Methodology. CONGRESSO BRASILEIRO DE SISTEMAS, 4., 2008, Franca. Anais... Franca: UniFace, 2008.

GAVA, T. B. S.; MENEZES, C. S.; CURY, D. Aplicações de Mapas Conceituais na Educação como Ferramenta MetaCognitiva. Disponível em: < http://www.ntejgs.rct-sc.br/mapas.htm>. Acesso em: 10 mar. 2010.

GHARAJEDAGHI, J. System Thinking: Managing chaos and complexity. San Diego: Elsevier, 2006.

HAMMOND, D. Exploring the genealogy of systems thinking. Systems Research and Behavioral Science, [S. l.], v. 19, n. 5, p. 429-439, 2002.

HEYLIGHEN, F.; JOSLYN C. Cybernetics and Second-Order Cybernetics. In: MEYERS, R. A. (Ed.). Encyclopedia of Physical Science & Technology. 3rd. ed. New York: Academic Press, 2001.

JACKSON, M. C. Systems approaches to management. New York: Kluwer Academic/ Plenum, 2000.

JORDAN, N. Temas de Psicología Especulativa. Buenos Aires: Editorial Troquel, 1974.

KASPER, H. O processo de pensamento sistêmico: um estudo das principais abordagens a partir de um quadro de referência proposto. 2000. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Produção) - Programa de Pós- Graduação em Engenharia de Produção (PPGEP), Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2000.

MARTINS, F.M. Aplicação de Metodologia Multicritério de Apoio a Decisão na Avaliação de Políticas de Gerenciamento em uma Empresa Orizícola. 1996. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Produção) - Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 1996.

MORIN, E. O Método 1: a natureza da natureza. Porto Alegre: Sulina, 2002.

NOVAK, J. D.; CAÑAS, A. J. The Theory Underlying Concept Maps and How to Construct Them. Technical Report IHMC CmapTools 2006-01. Miami: Florida Institute for Human and Machine Cognition 2006.

NOVAK, J. D. Concept mapping: a strategy for organizing knowledge. In: GLYNN, S. M.; DUIT, R. (Ed.). Learning Science in the Schools: Research Reforming Practice. Mahwah, NJ: Lawrence Erlbaum Associates, 1995.

PIDD, M. Modelagem Empresarial: ferramentas para tomada de decisão. Porto Alegre: Artes Médicas, 1998.

RAPOPORT, A. Aspectos matemáticos da análise geral dos sistemas. In: TEORIA DOS SITEMAS (Ed). Série Ciências Sociais. Editora Getúlio Vargas, 1976.

ROSENBLUEETH, A.; WIENER, Norbert; BIGELOW, J. Behavior, Purpose and Theleology. Filosofy of Science, [S. l.], v. 10, p. 18-24, 1943. In: BUCKLEY, W. (Ed). Modern Systems Research for the Behavioral Scientist: a Sourcebook, Chicago: Aldine Publishing Company, 1968.

ROSENHEAD, J. Rational Analyses for a Problemátic World: Problems Structuring Methods for Complexity, Uncertainty and Confl ict. Chinchester: John Wiley & Sons, 1989.

SENGE, Peter. A Quinta disciplina - arte, teoria e prática da organização de aprendizagem. São Paulo: Best Seller, 1990.

SENGE, P. M. The System Dynamics National Model Investment Function: A Comparison to the Neoclassical Investment Function . 1978. Ph.D thesis, Massachusetts Institute of Technology, Cambridge, MA, 1978.

SKARŽAUSKIENĖ, A. Theoretical Insights to Leadership Based on Systems Thinking Principles. Management of Organizations: Systematic Research, [S. l.], v. 48, p. 105-120, 2008.

STERMAN, J. Business Dynamics: Systems Thinking and Modelling for a Complex World. Boston: Irwin McGrawHill, 2000.

WIENER, N. Cybernetics: or Control and Communication in the Animal and the Machine. Cambridge: The MIT Press, 1961.

WIIG, K. Knowledge Management Foundations – Thinking about Thinking – How People and Organizations Create, Represent and Use Knowledge. Arlington: Schema Press, 1993.