Metodologia em voga no campo de empreendedorismo: emprego de métodos quantitativos para o estudo das características inerentes aos empreendedores Outros Idiomas

ID:
18405
Resumo:
Objetivou-se investigar a forma como a metodologia quantitativa vem sendo empregada na pesquisa sobre o tema “características inerentes aos empreendedores”. Especificamente, analisamos a produção brasileira exposta no Encontro Nacional da Anpad (EnANPAD) num período de 10 anos, desde 2003, ano da criação de um espaço específico para a produção em empreendedorismo, até 2012. Dentre os 279 artigos acerca de empreendedorismo publicados no EnANPAD nestes 10 anos foi analisada uma amostra intencional de 28 artigos. Em um primeiro momento foram analisados resumos, introduções e objetivos para a classificação dos temas e, posteriormente, procedeu-se à análise minuciosa dos métodos empregados nos estudos. No sentido de oferecer uma análise que proporcione um indicativo de como se caracterizam os estudos sobre empreendedorismo no Brasil em dias hodiernos, investigou-se o tema mais abordado em artigos da área de empreendedorismo para a avaliação do emprego da metodologia quantitativa, justificada também, como alvo desta investigação, por ser o principal método utilizado nos estudos sobre o tema. O estudo permitiu conhecer quais recursos metodológicos são adequados para investigar as características inerentes aos empreendedores e a forma como estes recursos foram utilizados. O nível de qualidade exigido para a publicação no EnANPAD colabora em afirmar sobre a viabilidade das estratégias de pesquisa expostas no presente estudo. Também há aqui uma contribuição para o delineamento do objeto de pesquisa no campo do empreendedorismo, especialmente no Brasil.
Citação ABNT:
SILVA, T.; PEREIRA, M. F.; COSTA, A. M.; HINTERLANG, C. Metodologia em voga no campo de empreendedorismo: emprego de métodos quantitativos para o estudo das características inerentes aos empreendedores. Revista Ibero-Americana de Estratégia, v. 12, n. 4, p. 181-209, 2013.
Citação APA:
Silva, T., Pereira, M. F., Costa, A. M., & Hinterlang, C. (2013). Metodologia em voga no campo de empreendedorismo: emprego de métodos quantitativos para o estudo das características inerentes aos empreendedores. Revista Ibero-Americana de Estratégia, 12(4), 181-209.
Link Permanente:
http://spell.org.br/documentos/ver/18405/metodologia-em-voga-no-campo-de-empreendedorismo--emprego-de-metodos-quantitativos-para-o-estudo-das-caracteristicas-inerentes-aos-empreendedores/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
Alves-Mazzotti, A.; & Gewandsznajder, F. O método nas ciências naturais e sociais: pesquisa quantitativa e qualitativa. 2. ed. São Paulo: Pioneira, 1999.

ANPAD. Apresentação. Disponível em: . Acesso em: 30 julho 2012.

ANPAD. Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Administração. Disponível em: < http://www.anpad.org.br>. Acesso em: 22 abril2013.

ANPAD. Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Administração. Eventos. Disponível em: . Acessoem:22 abril 2013.

Becherer, R.; & Maurer, J. The proactive personality disposition and entrepreneurial behavior among small company presidents.Journal of Small Business Management. Milwaukee: v.37 n.1 p.28-36. Jan 1999.

Bruyat, C.; & Julien, P. Defining the field of research in entrepreneurship. Journal of Business Venturing, n. 16 p. 165-180, 2000.

Bryman, A. Quantity and quality in social research. London: Unwin Hyman, 1988.

Burrel, G.; & Morgan, G. Sociological paradigms and organizational analysis. London: Heinemann Educational Books, 1979.

Cooper, D.; & Schindler, P. Métodos de pesquisa em administração. 7º ed. Porto Alegre: Bookman, 2003.

Costa Neto, P. Estatística. São Paulo: Edgar Blücher, 1997.

Fachin, O. Fundamentos de metodologia. 4ª ed. São Paulo: Saraiva ed., 2003.

Filion, L. Le champ de l’entrepreneuriat: historique, évolution, tendances. Revue internationale PME, v. 10 n. 2. Montreal: HEC, 36p, 1997.

Fonseca, J.; & Martins, G. Curso de estatística. São Paulo: Atlas, 1996.

Gartner, W. Aconceptual framework for describing the phenomenon of new venture creation. Academy of Management Review, v. 10, n. 4, p. 696-706, 1985.

Gem. Global Entrepreneurship Monitor. Disponível em: . Acesso em: 03 abril 2013.

Hisrich, R.; & Peters, M. Empreendedorismo. Porto Alegre: Bookman, 2004.

Malhotra, N. Pesquisa de marketing: Orientação aplicada. 4ª ed. Porto Alegre: Bookman, 2004.

MalinowskI, B. A teoria funcional. In: Uma teoria científica da cultura. Rio de Janeiro: Zahar, 1970.

Marchelli, P.; & Corcetti, E. Gestão da inovação na incubadora de base tecnológica do INATEL. In: XXVIII Encontro Nacional Da Associação Nacional Dos Programas De Pós-Graduação Em Administração, 2004, Curitiba, Anais. Curitiba, 2004.

Marconi, M.; & Lakatos, E. Fundamentos de metodologiacientífica. 6a ed. São Paulo: Atlas, 2006.

Morin, E. Ciência com consciência. Lisboa: Europa-América, 1982.

Morin, E. O Problema epistemológico da complexidade. Lisboa: Europa-América, 2002.

Pedhazur, E.;& Schmelkin, L. Measurement, design, and analysis: An integrated approach. New Jersey: Lawrece Erlbaum Associates Publishers, 1991.

Richardson, R. (Org.) Pesquisa social: métodos e técnicas. 3ª ed. São Paulo: Atlas, 1999.

Sarason, Y.; Dean, T.;& Dillard, J. Entrepreneurshipas the nexus of individual and opportunity: A structuration view. Journal of Business Venturing, v. 21 n. 3, p. 286-305, 2006.

Sarasvathy, S. The questions we ask and the questions we care about: Reformulating some problems in entrepreneurship research. Journalof business Venturing, v. 19, n. 5, p. 707-717, 2004.

SEBRAE. GEM 2011: Brasil é o terceiro país com o maior nº de empresas. Disponível em: . Acesso em: 13 agosto 2012.

Serva, M. (1992). O paradigma da complexidade e a análise organizacional.Revista de Administração de Empresas, 32(2), 26-35. abr/jun.

Serva, M.; Dias, T.; & Alperstedt, G. Paradigma da complexidade e teoria das organizações: Uma reflexão epistemológica. Revista de Administração de Empresas, v. 50, n. 3, 2010.

Shane, S. A general theory of entrepreneurship: TheIndividual-Opportunity Nexus. North Hampton: Edward Elgar, 2003.

Souza, E. Empreendedorismo:Da gênesis à contemporaneidade, In: EGEPE – Encontro De Estudos Sobre Empreendedorismo E Gestão De Pequenas Empresas. 4. 2005, Curitiba, Anais... Curitiba, 2005, p. 134-146.

Sutton, R.; & Staw, B. O que não é teoria. Revista de Administração de Empresas, ERA, v. 43, n. 3, 2003.

Vieira, S. Estatística para a Qualidade: Como avaliar com precisão a qualidade em produtos e serviços. Rio de Janeiro: Campus, 1999.

Welsch, H. International entrepreneurship and small business bibliography. Chicago: De Paul University, 1992.