Comprometimento da alta administração com relação às mudanças climáticas Outros Idiomas

ID:
31902
Resumo:
Este artigo tem como tema as atitudes organizacionais relacionadas às mudanças climáticas (Corporate Climate Change). Seu objetivo é identificar se há comprometimento da Alta Administração nas atitudes corporativas com respeito às mudanças climáticas, comparando os resultados dos grupos “Brazil” e “S&P 500 M-Z” contidos no banco de dados da ONG Carbon Disclosure Project. Como metodologia foi utilizada uma pesquisa descritiva baseada em análise de dados secundários. A coleta dos dados foi feita por meio de revisão bibliográfica e informações conseguidas no questionário formulado pela Carbon Disclosure Project. Observou-se que 62% das empresas brasileiras e 66% de corporações norte-americanas analisadas dizem possuir um corpo ou comitê executivo designado para lidar com as mudanças climáticas.
Citação ABNT:
MORAIS NETO, S.; PEREIRA, M. F. Top management support to climate change. Contextus - Revista Contemporânea de Economia e Gestão, v. 12, n. 2, p. 7-37, 2014.
Citação APA:
Morais Neto, S., & Pereira, M. F. (2014). Top management support to climate change. Contextus - Revista Contemporânea de Economia e Gestão, 12(2), 7-37.
Link Permanente:
http://spell.org.br/documentos/ver/31902/comprometimento-da-alta-administracao-com-relacao-as-mudancas-climaticas/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Inglês
Referências:
ANSOFF, Igor. Administração Estratégica. São Paulo: Atlas, 1988.

ASSUMPÇÃO, Maria Rita Pontes. Reflexão para Gestão Tecnológica em Cadeias de Suprimentos. Gestão & Produção, v. 10, n.3, dez. 2003.

BARBIERI, J. C. Os inventores no Brasil: tipos e modalidades de incentivos. Revista de Administração de Empresas. São Paulo, v. 39, n. 2, p. 54-63, abr./jun. 1999.

BELLEN, H. M. Indicadores de Sustentabilidade: Uma Análise Comparativa. 1ª ed. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 2005.

BRANDALISE, Loreni Teresinha. Modelo de suporte à gestão organizacional com base no comportamento do consumidor considerando sua percepção da variável ambiental nas etapas da análise do ciclo de vida do produto 211f, 2006. Tese (Doutor em Engenharia de Produção) Pós-Graduação em Engenharia de Produção da Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, 2006

CARBON DISCLOSURE PROJECT. Report 2008. Available at . Access: 08/29/2009.

CAVALCANTI, Clóvis. Desenvolvimento e natureza: estudos para uma sociedade sustentável. -2ª ed.São Paulo: Cortez; Recife, Fundação Joaquim Nabuco, 1998.

COURCHAMP, F et al. Rarity Value and Species Extinction: The Anthropogenic Allee Effect. PLoS Biol. 4(12), 2006.

DELAI, I.; TAKAHASHI, S. Uma proposta de modelo de referência para mensuração da Sustentabilidade Corporativa. Encontro nacional sobre gestão empresarial e meio ambiente. Curitiba, 2007. Available at: . Access: 09/12/2009.

DIAMOND, J. Colapso: Como as sociedades escolhem o fracasso ou o sucesso. Rio de Janeiro: Record, 2005.

DUNNING, J. Towards a new paradigm of development: implications for the determinants of international business. Transnational Corporations, v. 15. n. 1, 2006.

DUNN, S. Down to Business on Climate Change: An Overview of Corporate Strategies. In: GMI, v.39, p. 27-41 2002.

ENVIRONMENTAL PROTECTION AGENCY (EPA). Clean Power Plant Proposed Rule, 2014. Available at: < http://www2.epa.gov/carbon-pollution-standards/clean-power-plan-proposed-rule>. Access: 03/06/2014.

GLOBAL REPORTING INITIATIVE. Sustainability Reporting Guidelines, 2009. Disponível em . Acessado em: 15 de setembro de 2009.

GRAY, R.; KOUHY, R.; LAVERS, S. Corporate social and environmental reporting. A review of the literature and a longitudinal study of UK disclosure. In: Accounting, Auditing & Accountability Journal, v. 8, n. 2, p. 47-77, 1995.

GRAYSON, D.; HODGES, A. Compromisso social e gestão empresarial. São Paulo: Publifolha, 2002.

GÜNTER, E. Ökologieorientiertes Management. Stuttgart: Lucius & Lucius Verlagsgesellschaft mbH, 2008.

HART, S. A Natural-Resource-Based View of the Firm. Academy of Management Review. Oct95, v. 20 Issue 4, p.986-1014. 29p, 1995.

HART, S; DOWELL, G. Invited Editorial: A Natural-Resource-Based View of the Firm: Fifteen Years After. Journal of Management 37(5): p.1464-1479, 2011.

HOFFMAN, A. J. Environmental and Social Issues into Corporate Practice, Environment, v.42, 2000.

HOFFMAN, A. J. Getting Ahead of the Curve: Corporate Strategies That Address Climate Change. Michigan, 2006. Available at: . Access: 09/10/2009.

INTERGOVERNMENTAL PANEL ON CLIMATE CHANGE (IPCC). Climate Change 2014: Mitigation of Climate Change, 2014. Avaliable at: . Access: 30/05/2014.

JONES, C. A.; LEVY, D. L. North American Business Strategies Towards Climate Change. In: European Management Journal. v. 25, n. 6, p.428–440, 2007.

JORGE, M. J. Doutrina de competitividade e política pública de P&D: evidências recentes e contribuições ao debate. Revista de Administração Pública, v. 32, n. 3, p. 135-58. mai./jun., 1998.

JOUZEL, J. Le Monde Diplomatique. Atlas der Globalisierung spezial – Klima. Die sehr lange Geschichte des Klimawandels. p.32-33. Berlin: Henke Rollenoffset, 2008.

KOLK, A.; PINKSE, J. Business Responses to Climate Change: Identifying Emergent Strategies. California Management Review, v. 47, n. 3, p. 6-20. 2005.

KOTLER, Philip. Administração de Marketing: análise, planejamento, implementação e controle. São Paulo: Atlas, 1996.

KOTLER, Philip. Administração de Marketing. São Paulo: Atlas, 1975.

LANKOSKI, L. 2008: Corporate Responsibility Activities and Economic Performance: a Theory of Why and How They Are Connected. In: Business Strategy and the Environment, v. 17, p. 536–547.

MAKOWER, J. A urgência da inovação. HSM Management. Setembro/ Outubro, 2011.

MARCOVITCH, Jacques. Para mudar o futuro: mudanças climáticas, políticas públicas e estratégias empresariais. São Paulo: EdUSP, 2006.

MARTINELLI, Dante Pinheiro. Buscando competitividade através de estratégias ambientais. ANAIS do Simpósio de Administração da Produção, Logística e Operações Industriais, 2, 1999.

MEADOWS, D. H.; RANDERS, J.; BEHRENS, W.W. Limits to Growth. New York, 1972.

MICHALISIN, M.; STINCHFIELD, B. Climate Change Strategies and Firm Performance: An Empirical Investigation of the Natural Resource-Based View of the Firm. Journal of Business Strategies. v. 27, n.2, p.123-149. 17p. 2010.

MILITELLO, K. Pare de jogar dinheiro no lixo. Informática Exame, São Paulo, p. 38-48, jun. 1997.

MOWERY, D.; NELSON, R.; MARTIN, B. Technology policy and global warming: Why new policy models are needed (or why putting new wine in old bottles won’t work). Research Policy v. 39, p.1011–1023, 2010.

NICHOLS, J.D.; BOULINIER, T.; HINES J.E.; POLLOCK, K.H.; SAUER, J.R. Estimating rates of local species extinction, colonization, and turnover in animal communities. Ecological Applications. v. 8, p. 1213–1225, 1998.

NOVAES, W. As Mudanças Climáticas. 2008. Available at: . Access: 10/10/2009.

OKEREKE, C. An Exploration of Motivations, Drivers and Barriers to Carbon Management: The UK FTSE 100. In: European Management Journal. v. 25, n. 6, p. 475–486, 2007.

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS. Available at: . Acess: 20/11/2007.

PORTER, M. E.; KRAMER, M. Strategy and society: the link between competitive advantage and corporate social responsibility. Harvard Business Review, v.84, n. 12, p.78-92, 2006.

PORTER, M. E.; KRAMER M. The Big Idea: Creating Shared Value. Harvard Business Review, v. 89, n.1-2, Jan./Feb., 2011.

PORTER, M. Guia Exame de Sustentabilidade. “Param de Gastar Tanto Dinheiro”. Ed. Abril, p. 86-89, 2007.

PORTER, M. Revista HSM Management. “A Nova Era da Estratégia”. Ed.Especial, p.1728, 2000.

PRAHALAD, C. K; HART, S. The fortune at the bottom of the pyramid. Strategy+Business v. 26, p. 54–67, Jan. 2002.

RODRIGUES, Ricardo J. P. Desenvolvimento nas ações políticas da sociedade civil dentro e fora do congresso nacional. Câmara dos Deputados. Brasília, 2000. Available at: . Acess: 15/09/2009.

SACHS, I. Desenvolvimento mundial: uma idéia sobre desenvolvimento populacional. Toulouse, Revista Internacional dos Serviços Sociais, n. 141, Unesco/Erès, 1994.

SHRIVASTAVA, P. Industrial/Environment Crises and Social Responsibility, Journal of Socio-Economics, v.24, n.1, 1995.

STARIK, M; RANDS, G; Weaving an Integrated WEB: Multilevel and Multisystem Perspectives. Academy of Management Review. v.20, n.4, p. 908-935, 1995.

TURNER, G. A Comparison of 'The Limits to Growth' with Thirty Years of Reality. Commonwealth Scientific and Industrial Research Organisation, 2008.

UNITED NATIONS FRAMEWORK CONVENTION ON CLIMATE CHANGE (UNFCCC). Convention on Climate Change. Available at: . Access: 08/07/2009.

VIOLA, E. O regime internacional de mudança climática e o Brasil. Revista Brasileira de Ciências Sociais. v.17, n.50 out. 2002.