A Comissão das Partidas Dobradas de 1914 e a Contabilidade Pública Brasileira Outros Idiomas

ID:
34288
Resumo:
A história da contabilidade brasileira ainda é relativamente muito pouco explorada. Através de uma pesquisa histórica, o presente artigo buscou trazer a lume a história da Comissão das Partidas Dobradas de 1914. Com a Proclamação da República (1889), o governo passou a buscar novas dimensões, multiplicando seus órgãos administrativos, o que exigia uma burocracia apta a desempenhar estas funções. A esse fato se associa o forte desenvolvimento econômico que teve o Brasil com a expansão da economia cafeeira. Em 1905, sob a liderança de Carlos de Carvalho, foi organizada a escrituração contábil do Tesouro do Estado de São Paulo, através do estabelecimento da escrituração por partidas dobradas e pela introdução da contabilidade patrimonial e financeira. A exigência da escrituração por partidas dobradas na contabilidade pública federal, embora presente na legislação desde 1808, somente foi efetivamente levada a cabo a partir da criação da Comissão das Partidas Dobradas de 1914. Neste ano, em decorrência da negociação de um segundo funding loan, auditores dos banqueiros credores ingleses solicitaram o balanço do Tesouro Nacional ao ministro da Fazenda, Rivadávia Corrêa. Como o mencionado balanço encontrava-se defasado em oito anos, foi constituída, em junho de 1914, a Comissão das Partidas Dobradas, a qual levantou, tecnicamente, o balanço de Receita e Despesa e o primeiro balanço de Ativo e Passivo elaborado na administração do país, desde o Brasil Colônia. A Comissão das Partidas Dobradas de 1914 tornou-se o catalisador de mudanças na contabilidade pública brasileira da época, tais como a constituição do Código de Contabilidade Pública em 1922 e a aprovação do regulamento da Contadoria Central da República em 1924, que fortaleceram e deram perenidade às práticas adotadas a partir de 1914.
Citação ABNT:
ADDE, T. V.; IUDÍCIBUS, S.; RICARDINO FILHO, ?. A.; MARTINS, E. A Comissão das Partidas Dobradas de 1914 e a Contabilidade Pública Brasileira . Revista Contabilidade & Finanças - USP, v. 25, n. especial, p. 321-333, 2014.
Citação APA:
Adde, T. V., Iudícibus, S., Ricardino Filho, ?. A., & Martins, E. (2014). A Comissão das Partidas Dobradas de 1914 e a Contabilidade Pública Brasileira . Revista Contabilidade & Finanças - USP, 25(especial), 321-333.
DOI:
10.1590/1808-057x201412030
Link Permanente:
http://spell.org.br/documentos/ver/34288/a-comissao-das-partidas-dobradas-de-1914-e-a-contabilidade--publica-brasileira-/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
Abreu, M. P. (2002). Os funding loans brasileiros - 1898-1931. Pesquisa e Planejamento Econômico(PPE) - IPEA, 32(3), 515-540. Recuperado de http://ppe.ipea.gov.br/index.php/ppe/article/view/142/77.

Alvará de 28 de junho de 1808. (1891). Crêa o Erario Regio e o Conselho da Fazenda. Rio de Janeiro, Collecção das Leis do Brazil de 1808, Imprensa Nacional.

Aróstegui, J. (2006). A pesquisa histórica: teoria e método. Bauru: EDUSC.

Carnegie, G. D.; & Napier, C. J. (2002). Exploring comparative international accounting history. Accounting, Auditing & Accountability Journal, 15(5), 689-718. doi 10.1108/09513570210448966.

Carvalho, C. (1914). A contabilidade do thesouro de S. Paulo. Revista Brasileira de Contabilidade, 3(7), 127-131.

Contabilidade fiscal. (1916). Revista Brasileira de Contabilidade, 5(4), 75-77.

D’Auria, F. (1925). Apontamentos de historia da Contabilidade. Rio de Janeiro: [s.n.].

D’Auria, F. (1930). Casa do contabilista. Revista Brasileira de Contabilidade, 2(1), 1-4.

D’Auria, F. (1953). Cinqüenta anos de Contabilidade(1903-1953). São Paulo: Indústria Gráfica Siqueira S/A.

Decisão n. 147, de 26 de abril de 1832. (1875). Regulamento das Contadorias acompanhado das instrucções para a escripturação das Thesourarias do Imperio. Rio de Janeiro, Collecção das Decisões do Governo do Imperio do Brasil de 1832, Typographia Nacional.

Decreto Legislativo n. 1.178, de 16 de janeiro de 1904. (1907). Crea os logares de contador e procurador fiscal nas Delegacias Fiscaes do Thesouro Federal, e dá outras providencias. Rio de Janeiro, Collecção das Leis da Republica dos Estados Unidos do Brazil de 1904, Imprensa Nacional.

Decreto Legislativo n. 1.339, de 09 de janeiro de 1905. (1907). Declara instituição de utilidade publica a Academia de Commercio do Rio de Janeiro, reconhece os diplomas por ella conferidos, como de caracter official; e dá outras providencias. Rio de Janeiro, Collecção das Leis da Republica dos Estados Unidos do Brazil de 1905, Imprensa Nacional.

Decreto Legislativo n. 23, de 30 de outubro de 1891. (1892). Reorganisa os serviços da Administração Federal. Rio de Janeiro, Collecção das Leis da Republica dos Estados Unidos do Brazil de 1891, Imprensa Nacional.

Decreto Legislativo n. 4.536, de 28 de janeiro de 1922. (1923). Organiza o Codigo de Contabilidade da União. Rio de Janeiro, Collecção das Leis da Republica dos Estados Unidos do Brasil de 1922, Imprensa Nacional.

Decreto Legislativo n. 4.555, de 10 de agosto de 1922. (1923). Provê as despesas publicas no exercicio de 1922. Rio de Janeiro, Collecção das Leis da Republica dos Estados Unidos do Brasil de 1922, Imprensa Nacional.

Decreto n. 13.248, de 23 de outubro de 1918. (1919). Approva o regulamento que altera a organização do Thesouro. Rio de Janeiro, Collecção das Leis da Republica dos Estados Unidos do Brasil de 1918, Imprensa Nacional.

Decreto n. 1.335, de 12 de dezembro de 1905. (1905). Institúe no Thesouro do Estado a escripturação em fórma commercial. Diario Official do Estado de São Paulo. 14 de dezembro. Recuperado de http://dobuscadireta.imprensaoficial.com.br/default.aspx?DataPublicacao=1 9051214&Caderno=Diario%20Oficial&NumeroPagina=3039.

Decreto n. 13.746, de 03 de setembro de 1919. (1920). Dá instrucções para o serviço geral de contabilidade publica, em face da lei n. 2.083, de 30 de julho, e decreto numero 7.751, de 23 de dezembro de 1909. Rio de Janeiro, Collecção das Leis da Republica dos Estados Unidos do Brasil de 1919, Imprensa Nacional.

Decreto n. 15.210, de 28 de dezembro de 1921. (1922). Approva o regulamento que altera a organização dos serviços da Administração Geral da Fazenda Nacional. Rio de Janeiro, Collecção das Leis da Republica dos Estados Unidos do Brasil de 1921, Imprensa Nacional.

Decreto n. 15.783, de 08 de novembro de 1922. (1923). Approva o regulamento para execução do Codigo de Contabilidade Publica. Rio de Janeiro, Collecção das Leis da Republica dos Estados Unidos do Brasil de 1922, Imprensa Nacional.

Decreto n. 16.650, de 22 de outubro de 1924. (1925). Organiza definitivamente a Contadoria Central da Republica e approva o seu regulamento. Rio de Janeiro, Collecção das Leis da Republica dos Estados Unidos do Brasil de 1924, Imprensa Nacional.

Decreto n. 2.807, de 31 de janeiro de 1898. (1900). Reorganisa as Repartições de Fazenda. Rio de Janeiro, Collecção das Leis da Republica dos Estados Unidos do Brazil de 1898, Imprensa Nacional.

Decreto n. 4.475, de 18 de fevereiro de 1870. (1870). Approva os Estatutos da Associação dos Guarda-Livros estabelecida nesta Côrte. Rio de Janeiro, Collecção das Leis do Imperio do Brasil de 1870, Typographia Nacional.

Decreto n. 5.245, de 05 de abril de 1873. (1874). Promulga o novo quadro do numero e vencimentos dos empregados do Thesouro e Thesourarias de Fazenda, e faz outras alterações nos Regulamentos dessas Repartições. Rio de Janeiro, Collecção das Leis do Imperio do Brasil de 1873, Typographia Nacional.

Decreto n. 7.751, de 23 de dezembro de 1909. (1913). Approva o regulamento expedido em virtude do art. 32 da lei n. 2.083, de 30 de julho de 1909, para execução dos serviços da Administração Geral da Fazenda Nacional. Rio de Janeiro, Collecção das Leis da Republica dos Estados Unidos do Brazil de 1909, Imprensa Nacional.

Edwards J. R.; Coombs, H. M.; & Greener, H. T. (2002). British central government and “the mercantile system of double entry” bookkeeping: a study of ideological conflict. Accounting, Organizations and Society, 27(7), 637-658. DOI: 10.1016/S0361-3682(01)00060-5.

Edwards, J. R.; & Greener, H. T. (2003). Introducing mercantile bookkeeping into British central government, 1828-1844. Accounting and Business Research, 33(1), 51-64. doi 10.1080/00014788.2003.9729631.

Fausto, B. (1977). Expansão do café e política cafeeira. In B. Fausto(Org.). História geral da civilização brasileira. Tomo III - O Brasil republicano. Estrutura de poder e economia(1889-1930). (Vol. 1.) pp.195-248. São Paulo: Difel.

Fritsch, W. (1988). External constraints in economic policy in Brazil 1889-1930. Londres: Macmillan.

Gomes, D.; Carnegie, D. G.; & Rodrigues, L. L. (2008). Accounting change in central government - the adoption of double entry bookkeeping at the Portuguese Royal Treasury(1761). Accounting, Auditing & Accountability Journal, 21(8), 1144-1184. doi 10.1108/09513570810918797.

Iudícibus, S. (2010). Teoria da Contabilidade. 10a ed. São Paulo: Atlas.

Jornaes do Rio. (1914). O Estado de S. Paulo. 22 de Julho. Recuperado de http://acervo.estadao.com.br/publicados/1914/07/22/g/1914072212997-nac-0005-999-5-not-wspxxga.jpg.

Lei n. 2.083, de 30 de julho de 1909. (1912). Reforma o Thesouro Federal e dá outras providencias. Rio de Janeiro, Collecção das Leis da Republica dos Estados Unidos do Brazil de 1909, Imprensa Nacional.

Lobo, U.; & Moraes Junior, J. F. (1941). Departamento administrativo do serviço público - exposição de motivos. Diário Oficial dos Estados Unidos do Brasil. 17 de maio. Recuperado de http://www.jusbrasil.com.br/diarios/2303417/dou-secao-1-17-05-1941-pg-97/pdfView.

Mancini, J. (1978). Estanislau Kruszynski. São Carlos: Editora Ind. e Com. Gráfico “O Expresso” Ltda.

Martins, E.; Silva, A. F.; & Ricardino Filho, A. A. (2006). Escola Politécnica: possivelmente o primeiro curso formal de Contabilidade do Estado de São Paulo. Revista Contabilidade e Finanças - USP, 17(42), 113-122. doi: 10.1590/S1519-70772006000300010.

Mascarenhas, J. (1922). Carlos de Carvalho. Revista Paulista de Contabilidade, 1(1), 16-17.

Miller, P. (1994). Accounting as social and institutional practice: an introduction. In A.G. Hopwood, & P. Miller (Eds.), Accounting as social and institutional practice (pp.1-39). Cambridge: University Press.

Moraes Junior, J. F. (1921). Ainda a lei de Contabilidade Publica - II. Revista Brasileira de Contabilidade, v. 10, 101-103.

Moraes Junior, J. F. (1921). Ainda a lei de Contabilidade Publica - I. Revista Brasileira de Contabilidade, v. 10, 89-93.

Prado Júnior, C. (1994). História econômica do Brasil. 41a ed. São Paulo: Brasiliense.

Sá, A. L. (2008). História geral da Contabilidade no Brasil. Brasília: Conselho Federal de Contabilidade.

Saes, F. A. M.; & Cytrynowicz, R. (2001). O ensino comercial na origem dos cursos superiores de economia, contabilidade e administração. Revista Álvares Penteado, 3(6), 37-59.

Thesouro Nacional. (1914). Revista Brasileira de Contabilidade, 3(12), 232-237.