Trabalho docente e tecnologias da educação: mediação e confluência Outros Idiomas

ID:
36687
Resumo:
Este artigo tem por objetivo investigar as relações de afetividade estabelecidas entre os professores mediadores e os graduandos do curso, de administração na modalidade a distância, oferecido por uma instituição de ensino superior do Grande ABC. No campo teórico, assume-se a perspectiva de que este fenômeno influencia o processo ensinoaprendizagem, além da importância do professor como mediador do processo educativo desenvolvido com apoio tecnológico. Para tanto, adotou-se uma abordagem qualitativa, instrumentalizada por questionário aplicado junto a estudantes de um curso de graduação oferecido a distância. Os resultados mostraram que a prática docente se configura como elemento fundamental na relação entre professor e aluno, uma vez que demonstra ser a mais clara forma de se desenhar um cenário de autonomia educacional no contexto discente.
Citação ABNT:
FERREIRA, R. C. A.; VIEIRA, A. M. Trabalho docente e tecnologias da educação: mediação e confluência. Revista de Tecnologia Aplicada, v. 2, n. 3, p. 46-62, 2013.
Citação APA:
Ferreira, R. C. A., & Vieira, A. M. (2013). Trabalho docente e tecnologias da educação: mediação e confluência. Revista de Tecnologia Aplicada, 2(3), 46-62.
Link Permanente:
http://spell.org.br/documentos/ver/36687/trabalho-docente-e-tecnologias-da-educacao--mediacao-e-confluencia/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
ALMEIDA, L. R.; MAHONEY, A. A.. A dimensão afetiva e o processo ensino - aprendizagem. In: ALMEIDA, L. R.; MAHONEY, A. A. (Orgs.). Afetividade e aprendizagem: contribuições de Henri Wallon. São Paulo: Edições Loyola, 2007.

ALVES, J. R. M. A história da EAD no Brasil. In: LITTO, F. M. & FORMIGA, M. M. M. (Orgs) Educação a distância: o estado da arte. São Paulo: Pearson, 2009.

ARANTES, V. A. (org.). Afetividade na escola: alternativas teóricas e práticas. São Paulo: Summus, 2003.

AZEVEDO, A.; SOUZA, T. R. S. Formação de professores em educação a distância: a experiência da Universidade Metodista de São Paulo. São Bernardo do Campo: Editora Metodista, 2010.

AZEVEDO, J. C. Origens da educação universitária a distância no Brasil. Fortaleza, ABED, 27 set. 2009. Palestra de abertura do XV Congresso Internacional de Educação a Distância.

BARROS, A. J. P.; LEHFELD, N. A. de S. Projeto de Pesquisa – Propostas Metodológicas. 12. ed. Petrópolis: Ed. Vozes, 2001.

BENTES, R. F. A avaliação do tutor. In: LITTO, Frederic Michael; FORMIGA, Manuel Marcos Maciel. (Orgs) Educação a distância: o estado da arte. São Paulo: Pearson, 2009.

BRASIL. Ministério da Educação e Cultura. Decreto nº 5.622, de 19 de dezembro de 2005. Brasília, 19 dez. 2005. Disponível em: - Acesso em: 07 maio2012.

BRASIL. Ministério da Educação e Cultura. O que é um polo de apoio presencial. Brasília. Disponível em: – Acesso em: 18 jul.2012.

COSTA, M. M.. O papel do professor-tutor no Campus EaD Metodista. In: SATHLER, L.; JOSGRILBERG, F.; AZEVEDO, A. (Org.). Educação a distância: uma trajetória colaborativa. São Bernardo do Campo: Editora Metodista, 2008.

FUTTERLEIB, L. Tutoria: o braço forte das Instituições - o porto seguro dos alunos. Campinas, UNICAMP, 2011.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 3. ed. São Paulo: Altas, 1991.

GROF, L. A teoria da distância transacional – Michael Moore. Disponível em: , 2008. Acesso em: 20 jul. 2011

KIPNIS, B. Educação superior a distância no Brasil: tendências e perspectivas. In: LITTO, F. M. & FORMIGA, M. M. M. (Orgs) Educação a distância: o estado da arte. São Paulo: Pearson, 2009.

KIROUAC, G. Les émotions. In: Richele, M. Traité de Psychologie Experimentale. Paris, PUF, 1994.

MAHONEY, A. A.; ALMEIDA, L. R. Afetividade e processo ensino-aprendizagem: contribuições de Henri Wallon. Psicologia da educação, n. 20, 2005. Disponível em: . Acesso em: 08 maio2012.

MAIA, C.; MATTAR, J. ABC da EaD: a educação a distância hoje. São Paulo: Pearson Education, 2007.

MANUAL SIGA. Sistema Integrado de Gestão de Aprendizagem. Universidade Metodista de São Paulo (UMESP). 2008. Disponível em: Acesso em: 20 jul.2012

MICHAELIS. Moderno Dicionário da Língua Portuguesa. Afetividade. Disponível em: - Acesso em: 07 maio2012.

MOODLE. O que é o moodle? Disponível em: . Acesso em: 20 jul.2012.

MOORE , M. Three Types of Interaction. American Journal of Distance Education, v. 3, n. 2, 1989.

MORAN, J. M. A afetividade na relação pedagógica. Disponível em: . Acesso em: 18 jul.2012.

MORAN, J. M. O ensino superior a distância no Brasil. Educação & Linguagem, v. 19, n. 19, p. 25-41, 2009.

MUZINATTI, C. M. A. Mundo moodle: conhecimento em construção. Redemoinhos - Informativo da Cidade do Conhecimento, v. 5, n. 3, 2005. Disponível em: - Acesso em: 20 jul.2012.

PALLOF, R.; PRATT, K. O aluno virtual: uma guia para trabalhar com estudantes online. Porto Alegre: ARTMED, 2004.

PICANÇO, A. A. Educação a distância e outros nós: Uma análise das telessalas do Telecurso 2000 coordenadas pelo SESI na Bahia. Salvador, 2001. Disponível em: Acesso em: 13 jul.2012.

RIBEIRO, M. L. A afetividade na relação educativa. Estud. psicol., v. 27, n. 3, 2010 . Disponível em: . Acesso em: 20 jul. 2012.

TELECURSO. Histórico. Disponível em: - Acesso em: 13 jul.2012.

WALLON, H. A evolução psicológica da criança. São Paulo: Martins Fontes, 1995.

WALLON, H. Psicologia e educação da criança. Lisboa: Vega, 1979.