Marketing! Onde está o Paradigma? Outros Idiomas

ID:
37457
Resumo:
O debate quantitativo-qualitativo, não é uma discussão recente. O objetivo desse trabalho, portanto, é verificar por meio do conceito de paradigma, novas perspectivas de compreender as pesquisas acadêmicas em marketing, a evolução do pensamento de marketing e as metodologias utilizadas nos estudos da qualidade de serviço. Sem a pretensão de esgotar este assunto e apresentar uma conclusão final, são apresentadas pesquisas que apontam para a necessidade e a importância da pesquisa qualitativa, uma vez que auxilia ao pesquisador uma melhor compreensão da natureza complexa do mundo social em que vivemos. Segundo Santana e Gomes (2007), após análise da discussão de Hegel e Kant, concluem que a razão e a própria epistemologia são construções históricas e evoluem a partir de contradições. O presente artigo está dividido em cinco momentos. Na primeira parte apresenta-se além da introdução a constituição dos objetivos desse ensaio teórico. Na segunda parte apresenta-se uma breve discussão a respeito do conceito de paradigma e o marketing. Na terceira parte apresenta-se uma retrospectiva histórica do marketing e sua evolução de suas escolas a partir dos estudos de Miranda e Arruda (2004). Na quarta parte, são apresentadas as metodologias dos estudos sobre qualidade de serviços e finalmente na quinta parte apresenta-se as considerações finais.
Palavras-chave:
Citação ABNT:
CASTRO JUNIOR, D. F. L.; MIURA, M. N.; PEREIRA, M. F.; DELUCA, M. A. M. Marketing! Onde está o Paradigma?. Revista Brasileira de Marketing, v. 14, n. 3, p. 350-361, 2015.
Citação APA:
Castro Junior, D. F. L., Miura, M. N., Pereira, M. F., & Deluca, M. A. M. (2015). Marketing! Onde está o Paradigma?. Revista Brasileira de Marketing, 14(3), 350-361.
DOI:
10.5585/remark.v14i3.2939
Link Permanente:
http://spell.org.br/documentos/ver/37457/marketing--onde-esta-o-paradigma-/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
Alshebil, S. Are Paradigms Lost in Marketing?Some Twenty Years Later…: A Content Analysis. Advances in Consumer Research. v. 4, p. 434-435, sep. 2006.

Arndt, J. On making marketing science more scientific: role of orientations, paradigms, metaphors, and puzzle solving. Journal of Marketing. v. 49, n. 3, p. 11-23, 1985.

Ayrosa, E. A. T; Sauerbronn, J. F. R. Sobre a convergência e a prática metodológica do interacionismo interpretativo na pesquisa acadêmica de Marketing. RAC - Revista de Administração Contemporânea, v. 14, n. 5, p. 854-870, set./out. 2010.

BRASIL, V. S. Experiência de consumo: aspectos conceituais, abordagens metodológicas e agenda de pesquisa. In: Encontro da Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Administração. 31. 2007. Rio de Janeiro: Associação Nacional dos Programas de PósGraduação em Administração (ANPAD). Anais... Rio de Janeiro: ANPAD, 2007. p. 1-7.

Burrell, G.; Morgan, G. Sociological Paradigms and Organizational Analysis: Elements of the Sociology of Corporate Life. London: Heinemann Educational Books, 1979.

Carvalho, J. L. F; Vergara, S. C. A fenomenologia e a pesquisa dos espaços de serviço. RAE - Revista de Administração de Empresas, v. 2, n. 3, p. 79-91, jul./set. 2002.

Castro Júnior, Deosir Flávio Lobo de; SilveiraMartins, E.; Deluca, M. A. M.; Rossetto, C. R. Qualidade de Serviço: um estudo bibliométrico nas base de dados internacionais. Revista de Ciências da Administração, v. 15, p. 49-68, 2013.

Day, G. S. Closing the Marketing Capabilities Gap. Journal of Marketing. v. 75, p. 183-195, 2011.

Deschpande, R. Paradigms Lost: On Theory and Method in Research in Marketing Journal of Marketing. v. 47, p. 101-110, 1983.

Gonçalves-Dias, S. L. F. Consumo e meio ambiente: uma modelagem do comportamento para reciclagem a partir das teorias cognitivoscomportamentais. 2009. Tese (Doutorado em Administração de Empresas). Escola de Administração de Empresas da Fundação Getulio Vargas, São Paulo, 2009.

Helfat, C. F. et al. Dynamic Capabilities: Understanding Strategic Change in Organizations. Malden: Blackwell Publishing, 2007.

James, E. L. 50 tons de cinza. Rio de Janeiro: Intrínseca, 2012.

Kuhn, T. S. A estrutura das revoluções científicas. 5. ed. São Paulo: Perspectiva, 1998.

Leão, A. L. M. S.; Mello, S. C. B. Atividades marcarias na vida cotidiana dos consumidores: descoberta de uma nova forma de se pensar as marcas? RAC - Revista de Administração Contemporânea, v. 14, n. 1, p. 92-116, jan/mar. 2009.

Miranda, C. M. C.; Arruda, D. M. O. Evolução do pensamento de Marketing: uma análise do corpo doutrinário acumulado no século XX. RIMAR - Revista Interdisciplinar de Marketing, v. 3, n. 1, p. 40-57, jan./jun. 2004.

Morgan, G. Paradigmas, metáforas e resolução de quebra-cabeças na teoria das organizações. In: Caldas, M. P.; Bertero, C. O. (coord.) Teoria das organizações. São Paulo: Atlas, 2007. p. 12-33.

Morgan, N. A. et al. Experiential and Informational Knowledge, Architectural Marketing Capabilities, and the Adaptive Performance of Export Ventures: A Cross-National Study. Decision Sciences, v. 34, n. 2, 2003.

Motta, P. R. Transformação organizacional: a teoria e a prática de inovar. São Paulo: QualityMark, 2006.

Santana, W. G. P.; Gomes, A. F. Por uma convivência (não tão) harmônica entre paradigmas nos estudos organizacionais. In: Anais... Encontro da Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Administração. 31. 2007. Rio de Janeiro: Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Administração (ANPAD), 2007.

Sauerbronn, J. F.; Cerchiaro, I. Uma Discussão sobre os Métodos Alternativos em Pesquisa Acadêmica em Marketing. In: Anais... Encontro da Associação Nacional dos Programas de PósGraduação em Administração. 28. 2004. Curitiba: Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Administração (ANPAD), 2004.

Zou, S.; Fang, E.; Zhao, S. The Effect of Export Marketing Capabilities on Export Performance: An Investigation of Chinese Exporters. Journal of International Marketing. v. 11, n. 4, p. 32-55, 2003.