Business Model as an Inducer of Disruptive Innovations: The Case of Gol Airlines Outros Idiomas

ID:
41772
Resumo:
This study investigates the internationalization process of Brazilian brand design firms. The following research question inspired the study: What are the characteristics of the internationalization of these firms? The study, of a technical nature, is based on secondary sources, complemented by personal interviews with specialists. The results show that the design sector in Brazil is still very fragmented, and that internationalization of design firms is incipient.
Citação ABNT:
PEREIRA, S. A.; IMBRIZI, F. G.; FREITAS, A. D. G.; ALVARENGA, M. A. Business Model as an Inducer of Disruptive Innovations: The Case of Gol Airlines. International Journal of Innovation, v. 3, n. 2, p. 28-42, 2015.
Citação APA:
Pereira, S. A., Imbrizi, F. G., Freitas, A. D. G., & Alvarenga, M. A. (2015). Business Model as an Inducer of Disruptive Innovations: The Case of Gol Airlines. International Journal of Innovation, 3(2), 28-42.
DOI:
http://dx.doi.org/10.5585/iji.v3i2.24
Link Permanente:
http://spell.org.br/documentos/ver/41772/business-model-as-an-inducer-of-disruptive-innovations--the-case-of-gol-airlines/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Inglês
Referências:
Amorim, H. C. (2007). A Gol ainda é uma empresa low-fare? Journal of Transport Literature, 1(1), 23-45.

Applegate, L. M. (2001). Emerging e-business models: lessons from the field. Harvard Business Review, v. 9, p. 801-172.

Besanko, D.; Dranove, D.; Shanley, M.; Schaefer, S. (2010). A Economia da Estratégia. Bookman.

Binder, M. P. (2003). Discussão do modelo porteriano através de críticas, teoria de recursos e o caso Gol. Master’s thesis. Fundação Getúlio Vargas, São Paulo.

Bovet, D.; Martha, J. (2000). Value nets: breaking the supply chain to unlock hidden profits. John Wiley & Sons.

Charitou, C. D.; Markides, C. C.; Strategy, B. M. (2003). Responses to disruptive strategic innovation. MIT Sloan Management Review.

Chesbrough, H.; Rosenbloom, R. S. (2002). The role of the business model in capturing value from innovation: evidence from Xerox Corporation's technology spin-off companies. Industrial and corporate change, 11(3), 529-555.

Christensen, C. M.; Bower, J. L. (1996). Customer power, strategic investment, and the failure of leading firms. Strategic Management Journal, 17(3), 197-218.

Christensen, C. M.; Johnson, M. W. & Rigby, D. K. (2002). Foundations for growth: how to identify and build disruptive new business. MIT Sloan Management Review, v. 2, p. 22-31.

Christensen, C. M.; Overdorf M. (2000). Meeting the challenge of disruptive change. Harvard Business Review, v. 2, p. 1-11.

Coutinho, L.; Sarti, F. (2006). O transporte aéreo no brasil: panorama geral, avaliação da competitividade e propostas de políticas públicas para o setor. Neit-IE-Unicamp, p. 1-88.

Demo, P. (2010). Rupturas urgentes em Educação. Ensaio: Aval. Pol. Públ. Educ. Rio de Janeiro, 18(69), 861-872.

Gil, A. C. (2007). Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo: Atlas.

Gil, A. C. (2009). Estudo de caso: Fundamentação científica. Subsídios Para Coleta e Análise de Dados e Como Redigir o Relatório. São Paulo: Atlas.

Godoi, C. K.; Balsini, C. P. V. (2010). A pesquisa qualitativa nos estudos organizacionais brasileiros: uma análise bibliométrica. In: Godoi, C. K.; Bandeira-de-Mello, R. & Silva, A. B. (Orgs.) Pesquisa qualitativa em estudos organizacionais: paradigmas, estratégias e métodos. São Paulo: Saraiva.

Gol – Linhas Aéreas. (2014). Relatórios. Retrieved from http://www.voegol.com.br/ptbr/investidores/.

Hall, J.; Vredenburg, H. (2003). The challenges of innovating for sustainable development. MIT Sloan Management Review.

Joia, L. A.; Ferreira, S. (2005). Modelo de negócios: constructo real ou metáfora de estratégia? Cadernos Ebape.BR, 3(4), 01-18.

Lindsay, J.; Hopkins, M. (2010). From experience: disruptive innovation and the need for disruptive intellectual asset strategy. Journal of Production Innovation Management, v. 27, p. 283-290.

Lobosco, A. (2014). Estudo do Modelo de Negócios das Incubadoras de Empresas Brasileiras e Portuguesas com Foco na Auto Sustentabilidade de Incubadoras de Empresas de Base Tecnológica. Ph. D. Dissertation. Nove de Julho University.

Luciano, E. M. (2004). Consolidação de componentes de modelos de negócios para o comércio eletrônico de produtos virtuais. Ph.D. Dissertation, UFRGS.

Martins, G. A.; Theóphilo, C. R. (2009). Metodologia da investigação científica para ciências sociais aplicadas. São Paulo: Atlas.

Mesquita, D. L.; Barbosa, D. M. S.; Noronha, N. S.; Sugano, J. Y. (2012). Plataformas e Modelos de Negócios: Há Semelhanças? Aspectos Conceituais Comuns. SiNad - Simpósio Nacional de Administração. p. 1-13.

Oliveira, A. V. M. (2009). Estudo dos determinantes dos preços das companhias aéreas no mercado doméstico. Série Estudos Regulatórios – Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), v. 2, p. 1-47.

Orofino, M. A. R. (2011). Técnicas de criação do conhecimento no desenvolvimento de modelos de negócio. Master’s thesis. Universidade Federal de Santa Catarina.

Osterwalder, A.; Pigneur, Y. (2010). Business Model Generation. New Jersey: John Wiley & Sons.

Osterwalder, A.; Pigneur, Y.; Tucci, C. L. (2005). Clarifying business models: Origins, present, and future of the concept. Communications of the association for Information Systems, 16(1), 1-1.

Relatório Consolidado. (2010). Estudo do setor de transporte aéreo do Brasil: relatório consolidado. Rio de Janeiro: McKinsey & Company.

Richardson, R. (1989). Pesquisa Social: Métodos e Técnicas. São Paulo: Ed. Atlas.

Rodrigues, L. C.; Maccari, E. A.; Lenzi, F. C. (2012). Innovation strategy for business to business market penetration. International Business Research, 5(2), 137-137.

Rodrigues, L. C.; Rechziegel, W.; Esteves, G.; Fernandes, M. P. (2012). Inteligência Competitiva Como Inovação nos Processos de Negócio. RAI: Revista de Administração e Inovação, 9(4), 245-264.

Rodrigues, L. C.; Sereia, V. J.; Lopes, A. C. V.; Vieira, S. A. F. (2010). Inovação Disruptiva no Ensino Superior. In: Anais XXXIV Encontro da ANPAD. Rio de Janeiro, p. 1-15.

Rodrigues, L. C.; Silveira, A.; Kono, C. M.; Lenzi, F. C. (2013). Inovação e Modelo de Negócio– Um estudo de caso no setor vitivinicultor. Revista Ibero-Americana de Estratégia, 12(2), 250-273.

Siqueira, L. D. (2012). Alinhamento dos Projetos de Tecnologia da Informação (TI) aos Modelos de Negócio. Master’s thesis. Universidade Municipal de São Caetano do Sul.

Yin, R. K. (2010). Estudo de caso: planejamento e métodos. São Paulo: Bookman.

Zilber, S. N.; Silva, F. L. (2013). Investigação sobre a existência de inovações disruptivas das grandes empresas multinacionais para o mercado brasileiro de baixa renda. Produção, 23(2), 283-296.

Zucatto, L. C.; Pinheiro, I. A. (2008). Análise Descritivo-Analítica do uso combinado de Ferramentas de Gestão da Inovação sob as Abordagens da Inovação Disruptiva e da Estratégia do Oceano Azul. In: Anais do XXV Simpósio de Gestão da Inovação Tecnológica. Brasília, 1-16.