Razões e Influências para a Evasão Universitária: um Estudo com Estudantes Ingressantes nos Cursos de Ciências Contábeis de Instituições Públicas Federais da Região Sudeste Outros Idiomas

ID:
42550
Resumo:
A evasão universitária é um problema que cerca as Instituições de Ensino Superior, tanto públicas quanto privadas. O abandono do curso gera desperdícios financeiros, sociais e acadêmicos. Nesse contexto, verifica-se uma intensificação dos estudos sobre evasão no ensino superior nas últimas décadas, apesar de poucos na área contábil, o que evidencia a necessidade de se estudar esse contexto. Assim, o objetivo desta pesquisa é buscar evidências que permitam identificar as razões que poderiam influenciar na evasão de estudantes do curso de Ciências Contábeis em IES públicas no seu primeiro ano de graduação. Adicionalmente, buscou-se analisar as características socioeconômicas desses estudantes e as possíveis influências que os fizeram optarem pelo curso. Aplicou-se um questionário a 348 estudantes, ingressantes no ano de 2013, em 6 universidades federais da região sudeste do Brasil. Percebeu-se, que de modo geral, os estudantes não parecem estar propensos a abandonar o curso, pois dos 20 fatores apresentados como capazes de influenciá-los na decisão de abandono do curso nenhum obteve média maior que 3,3 (as notas poderiam variar entre 0 e 10). Esse resultado pode indicar que os estudantes ingressaram significativamente entusiasmados com o curso, apesar de haver indícios de que a escolha do curso não foi um processo bem orientado. Exatamente por essa razão, a frustração que o estudante poderia ter ao perceber suas expectativas frustradas o faria se sentir desmotivado, o que poderia influenciá-los a abandonar o curso no futuro. Portanto, a convicção de uma escolha, e o entusiasmo resultante, não significa que o indivíduo mostrará as atitudes e habilidades que concretizarão suas pretensões profissionais e, diante dos obstáculos que colocarão à prova esta certeza e a força do seu comprometimento poderão ruir e resultar em evasão.
Citação ABNT:
CUNHA, J. V. A.; NASCIMENTO, E. M.; DURSO, S. O. Razões e Influências para a Evasão Universitária: um Estudo com Estudantes Ingressantes nos Cursos de Ciências Contábeis de Instituições Públicas Federais da Região Sudeste. Advances in Scientific and Applied Accounting, v. 9, n. 2, p. 141-161, 2016.
Citação APA:
Cunha, J. V. A., Nascimento, E. M., & Durso, S. O. (2016). Razões e Influências para a Evasão Universitária: um Estudo com Estudantes Ingressantes nos Cursos de Ciências Contábeis de Instituições Públicas Federais da Região Sudeste. Advances in Scientific and Applied Accounting, 9(2), 141-161.
DOI:
http://dx.doi.org/10.14392/asaa.2016090202
Link Permanente:
http://spell.org.br/documentos/ver/42550/razoes-e-influencias-para-a-evasao-universitaria--um-estudo-com-estudantes-ingressantes-nos-cursos-de-ciencias-contabeis-de-instituicoes-publicas-federais-da-regiao-sudeste/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
Almeida, J. B.; Schimiguel, J. (2012). Avaliação sobre as causas da evasão escolar no ensino superior: estudo de caso no curso de licenciatura em física no Instituto Federal do Maranhão. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, 2(2), 167-178.

Andriola, W. (2009). Fatores Associados à Evasão Discente na Universidade Federal do Ceará(UFC) de Acordo com as Opiniões de Docentes e de Coordenadores de Cursos. Revista Iberoamericana sobre Calidad, Eficacia y Cambio en Educación. 7(4), 342-356.

Aparecida, C.; Baggi, S.; Lopes, D. A. (2011). Evasão e avaliação institucional no ensino superior: uma discussão bibliográfica. Avaliação, 16(2), 355-374.

Balbinotti, M. A. A. (2003). A Noção Transcultural de Maturidade Vocacional na Teoria de Donal Super. Psicologia: Reflexão e Crítica, 16(3), 461-473.

Bardagi, M.; Hutz, C. S. (2009). Evasão universitária e serviços de apoio ao estudante: uma breve revisão da literatura brasileira. Psico-USF, 14(2), 95-105.

Bardagi, M. P. (2007). Evasão e Comportamento Vocacional de Universitários: estudo sobre o desenvolvimento de carreira na graduação. Tese. Programa de Pós-Graduação em Psicologia do Instituto de Psicologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Becker, G. S. (1962). Investment in human capital: a theoretical analysis. The Journal of Political Economy, 70(5), 9-49.

Bensimon, E. M. (2007). The underestimated significance of practitioner knowledge in the scholarship of student success. The Review of Higher Education, 30(4), 44-469.

Brawer, F. B. (1996). Retention-Attrition in the Nineties. Eric Digest.

Cabrera, L.; Bethencourt, J. T.; Pérez, P. A.; Afonso, M. G. (2006). El problema del abandono de los estudios universitarios. RELIEVE, 12(2), 171-203.

Carneiro, G. R. S.; Martinelli, S. C.; Sisto, F. F. (2003). Autoconceito e Dificuldades de Aprendizagem na Escrita. Psicologia: Reflexão e Crítica. 16(3), 427-434.

Cislaghi, R. (2008). Um Modelo de Sistema de Gestão do Conhecimento em um Framework para a Promoção da Permanência Discente no Ensino de Graduação. Tese(Doutorado em Engenharia e Gestão do Conhecimento). Programa de Pós-Graduação em Engenharia e Gestão do Conhecimento da Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis.

Correa, A. C.; Noronha, A. B.; Miura, I. K. (2004). Avaliação da evasão e permanência prolongada em um curso de graduação em administração de uma universidade pública. SEMINÁRIOS EM ADMINISTRAÇÃO, 7.

Dias, E. C.; Theóphilo, C. R.; Lopes, M. A. (2010). Evasão no ensino superior: estudo dos fatores causadores da evasão no curso de Ciências Contábeis da Universidade Estadual de Montes Claros - Unimontes-MG. In Congresso USP De Iniciação Científica Em Contabilidade. (Vol. 7). Disponível em http://www.congressousp.fipecafi.org/web/artigos102010/419.pdf.

Fávero, L. P.; Belfiore, P. P.; Silva, F. L.; Chan, B. L. (2009). Análise de dados: modelagem multivariada para tomada de decisões. Rio de Janeiro: Elsevier.

Friel, C. M. (2009). Notes on factor analysis. Criminal Justice Center, Sam Houston State University.

Gati, I.; Saka, N. (2001). High School Students’ Career-Related Decision-Making Difficulties. Journal of Counseling & Development. 79(3), 331-341.

Gonçalves, C. M.; Coimbra, J. L. (2007). O Papel dos Pais na Construção de Trajetórias Vocacionais dos seus Filhos. Revista Brasileira de Orientação Profissional. 8(1), 01-17.

INEP. (2014). Ministério da Educação, Instituto Nacional de Educação e Pesquisa. Disponível em: http://portal.inep.gov.br/enade/resultados. Acessado em 25 jan.2014.

Kline, P. (1994). An easy guide to factor analysis. New York: Routledge.

Leal, E. A.; Miranda, G. J.; Carmo, C. R. S. (2013). Teoria da autodeterminação: uma análise dos estudantes do curso de Ciências Contábeis. Revista de Contabilidade e Finanças, 24(62), 162-173.

Leon, F. F. L.; Menezes-Filho, N. A. (2002). Reprovação, avanço e evasão escolar no Brasil. Pesquisa e Planejamento Econômico. 32(3), 418-452.

Logan, J. Q. (2007). Psychosocial influences on college attendance among first and continuing-generation college students. Dissertação (Doctor of Philosophy).Department of Educational Psychology and Learning Systems.

Magalhaes, M. O. L. (2005). Personalidades Vocacionais e Desenvolvimento na Vida Adulta: generatividade e carreira profissional. Tese. Curso de Pós-Graduação em Psicologia do Desenvolvimento do Instituto de Psicologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Magalhaes, M.; Straliotto, M.; Keller, M.; Gomes, W. B. (2001). Eu quero ajudar as pessoas: a escolha vocacional da psicologia. Psicologia Ciência e Profissão. 21(2), 10-27.

MEC. (2011). Resumo Técnico Censo da Educação Superior de 2011. (2011). Disponível em http://download.inep.gov.br/download/superior/censo/2011/resumo_tecnico_censo_educacao_superior_2011.pdf. Acessado em 20 jan. 2014.

Noronha, B. N.; Carvalho, B. M.; Santos, F. F. F. (2001). Perfil dos alunos evadidos da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade campus Ribeirão Preto e avaliação do tempo de titulação dos alunos atualmente matriculados. Documento de Trabalho 01/2001. NUPES – Núcleo de Pesquisa sobre Ensino Superior, Universidade de São Paulo, 2001.

Oliveira, I. M. (1994). Preconceito e Autoconceito. 6ª ed. Campinas: Papiros Editora.

Ortiz, E. A.; Dehon, C. (2013). Roads to success in the Belgian French community’s higher education system: predictors of dropout and degree completion at the Université libre de Bruxelles. Research in higher education, 54(6), 693-723.

Palharini, F. A. (2008). Contornos da evasão no curso de Letras da UFF. Cadernos de Letras da UFF, (36), 14-164. 1º. Semestre, 2008.

Peleias, I. R.; Petrucci, V. B. C.; Garcia, M. N.; Silva, D. (2008). Pesquisa sobre a percepção dos alunos do 1º ano de ciências contábeis na cidade de São Paulo em relação às dificuldades por eles percebidas no período noturno. Revista Universo Contábil, 4(1), 81-94.

Polydoro, S. A. J. (2000). O trancamento de matrícula na trajetória acadêmica no universitário: condições de saída e de retorno à instituição. Tese (Doutorado). Universidade Estadual de Campinas, Campinas.

Reisel, L.; Brekke, I. (2010). Minority dropout in higher education: A comparison of the United States and Norway using competing risk event history analysis. European Sociological Review, 26(6), 691-712.

Silva Filho, R. L. L.; Motejunas, P. R.; Hipólito, O.; Lobo, M. B. C. M. (2007). A evasão no ensino superior brasileiro. Cadernos de Pesquisa, 37(132), 641-659.

Smitina, A. (2009). Student’s Risks to Drop Out and Relation to Vocational Identity. University Digital Archive. Disponível em: https://jyx.jyu.fi/dspace/bitstream/handle/123456789/22920/Smitina.pdf?sequence=1. Acesso em: 15 jul. 2012.

Solberg Nes, L.; Evans, D. R.; Segerstrom, S. C. (2009). Optimism and College Retention: Mediation by Motivation, Performance, and Adjustment1. Journal of Applied Social Psychology, 39(8), 1887-1912.

Sparta, M.; Gomes W. B. (2005). Importância Atribuída ao Ingresso na Educação Superior por Alunos do Ensino Médio. Revista Brasileira de Orientação Professional. 6(2), 45-53.

Stratton, L. S.; O’Toole, D. M.; Wetzel, J. N. (2008). A multinomial logit model of college stopout and dropout behavir. Economics of Education Review. 27(3), 319-331.

Super, D. E. (1990). A life-span, life-space approach to career development. In: Career choice and development: Applying contemporary theories to practice. Organizado por: Brown, L. D. B. San Francisco: Jossey-Bass.

Walmsley, A.; Wilson, T.; Morgan, C. (2010). Influences on a College Student’s Major: A Developmental Perspective. Journal for the Liberal Arts and Sciences, 14(2), 25-46.