Sintomas psicossomáticos e a organização do trabalho Outros Idiomas

ID:
6581
Resumo:
Este artigo tem como objetivo analisar as relações entre a organização do trabalho e a manifestação dos sintomas psicossomáticos. Utilizou-se o método de pesquisa clínico-qualitativa e, como instrumento de coleta de dados, entrevistas em profundidade com quatorze indivíduos de uma organização. Buscou-se, inicialmente, uma categorização analítica provisória baseada no quadro teórico e, após a interpretação das falas, foram elaborados gráficos que destacam a visualização da incidência dos sintomas e dos fatores da organização do trabalho que emergiram dos discursos. Os sintomas manifestos foram a dor de cabeça, estresse, cansaço físico, insônia, gastrite, depressão, ansiedade, dores no corpo, inflamação no nervo ciático, angústia, indisposição e variação de humor. Os fatores decorrentes da organização do trabalho foram a  pressão no trabalho, falta de autonomia, insegurança, desvalorização, falta de oportunidade, falta de comando e sobrecarga. Em virtude da metodologia qualitativa, não se pretendeu estabelecer uma correlação entre os dois construtos, mas analisar da manifestação dos fatores que os compõem e suas possíveis associações presentes nos discursos dos entrevistados.
Citação ABNT:
RANGEL, F. B.; GODOI, C. K. Sintomas psicossomáticos e a organização do trabalho. Revista Brasileira de Gestão de Negócios, v. 11, n. 33, p. 404-422, 2009.
Citação APA:
Rangel, F. B., & Godoi, C. K. (2009). Sintomas psicossomáticos e a organização do trabalho. Revista Brasileira de Gestão de Negócios, 11(33), 404-422.
Link Permanente:
http://spell.org.br/documentos/ver/6581/sintomas-psicossomaticos-e-a-organizacao-do-trabalho/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português