Fatores motivacionais extrínsecos para a profissão militar Outros Idiomas

ID:
7229
Resumo:
Embora a temática motivação seja foco de investigações no universo organizacional, ainda é pouco explorada na área militar. Este estudo utilizou a Teoria da Autodeterminação de Deci e Ryan (2000), como base para o entendimento da motivação, a qual aborda três necessidades: competência, vínculo e autonomia, cuja satisfação é fundamental para um comportamento bem-sucedido. A dicotomia motivação extrínseca e intrínseca é abordada com profundidade, com o estabelecimento de um continuum com quatro tipos de motivação extrínseca que vão crescendo em termos de proximidade da internalização. Foram propostas duas classes de fatores motivacionais extrínsecos para o exercício da profissão militar: profissionais e  nãoprofissionais. Sendo assim, este trabalho objetivou buscar na teoria a delimitação dos fatores motivacionais extrínsecos para a profissão militar e investigar a atribuição de importância para tais fatores por capitães e segundo-sargentos. Um total de 96 profissionais militares em aperfeiçoamento respondeu ao questionário semi-estruturado que ordenou a atribuição de importância dos participantes aos 10 fatores motivacionais extrínsecos. Os dados foram analisados por meio de estatística descritiva e inferencial. Os fatores mais importantes para a motivação militar foram satisfação da família e remuneração adequada. Os fatores não  profissionais oram considerados mais relevantes do que os profissionais.
Citação ABNT:
LÜTZ, C.; CANES, R.; BEURON, T. A.; GROHMANN, M. Z. Fatores motivacionais extrínsecos para a profissão militar. Revista de Administração da Unimep, v. 10, n. 1, p. 164-188, 2012.
Citação APA:
Lütz, C., Canes, R., Beuron, T. A., & Grohmann, M. Z. (2012). Fatores motivacionais extrínsecos para a profissão militar. Revista de Administração da Unimep, 10(1), 164-188.
Link Permanente:
http://spell.org.br/documentos/ver/7229/fatores-motivacionais-extrinsecos-para-a-profissao-militar/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
BAGOZZI, R.P.; BERGAMI; M.; LEONE, L. Hierarchical representation of motives in goal setting. Journal of Applied Psychology, v. 88, n. 5, p. 915-943, 2003.

BAJOR, J.K.; BALTES, B.B. The relationship between selection optimization with compensation, conscientiousness, motivation, and performance. Journal of Vocational Behavior, v.63, p.347-367, 2003.

BERGAMINI, Cecília Whitaker. A difícil Administração das Motivações. Organização, Recursos Humanos e Planejamento. Revista de Administração de Empresas. São Paulo, v. 38, n.1, p.6-17, Jan./Mar., 1998.

BERGAMINI, C.W. Motivação nas organizações. São Paulo: Atlas, 2006.

BORGES, L. O; LIMA, A. M. S; VILELA, E. C; MORAIS, S. S. G. Comprometimento no trabalho e sua sustentação na cultura e no contexto organizacional. RAE – eletrônica, v.3, n.1, art.8, 2004.

BOUDREAU, J.W; BOSWELL, W. R; JUDGE, T.A. Effects of personality on executive career success in the United States and Europe. Journal of Vocational Behavior, v.58, p.53-81, 2001.

BROCHADO, J.M.S. Eia, Avante! Rio de Janeiro: Biblioteca do Exército, 1999.

CHANG, E. Composite effects of extrinsic motivation on work effort: case of Korean employees. Journal of World Business, v.38, p.70-79, 2003.

DECI, E.L.; CONNEL, J.P.; RYAN, R.M. Self-determination in a work organization. Journal of Applied Psychology, v.74, n.4, p.580-590, 1989.

DECI, E.L.; RYAN, R.M. Intrinsic motivation and self-determination in human behavior. New York: Plenum Press, 1985.

DECI, E.L.; RYAN, R.M. The “What” and “Why” of goal pursuits: human needs and the selfdetermination of behavior. Psychological Inquiry, v.11, n.4, p.227-268, 2000.

DUTRA, M; PORCILE, G; MEIRELLES, A.J.A. Salários e tecnologia num modelo de crescimento com restrição externa. Revista Economia Contemporânea, v.10, n.1, p.187-205, 2006.

EPITROPAKI, O; MARTIN, R. From ideal to real: A longitudinal study of the role of implicit leadership theories on leader-member exchanges and employee outcomes. Journal of Applied Psychology, v.90, n.4, p.659-676, 2005.

FARIA, José Henrique de. Economia Política do Poder: uma crítica da teoria geral da administração. Curitiba: Juruá, 2008.

FERNÁNDEZ, H.M.; VASCONCELOS-RAPOSO, J.; LÁZARO, J.P.; DOSIL, J. Validación y aplicación de modelos teóricos motivacionales en el contexto de la educación física. Cuadernos de Psicología del Desporte, v.4, n.1-2, 2004.

FERREIRA, Andre; FUERTH, Leonardo Ribeiro; ESTEVES, Rodrigo Clebicar Pereira Mota. Fatores de Motivação no Trabalho: o que pensam os líderes. ENANPAD, 2006. Salvador, Bahia.

FERREIRA, G.C.D. O moral: multiplicador (ou divisor) de Força. A Defesa Nacional, v.83, n.776, p. 107-115, 1997.

FRANÇOIS, P.H; BAUDRY, B. Représentations sociales des compétences et processus d'évaluation. Psychologie du travail et des organisations, v.12, p.79-90, 2006.

GAGNÉ, M.; DECI, E.L. Self-determination theory and work motivation. Journal of Organizational Behavior, v.26, p.331-362, 2005.

GAZZANIGA, M.S.; HEATHERTON, T.F. Ciência psicológica. Porto Alegre: Artmed, 2005.

GOULART, F.R. Motivação para o combate. Military Review, v. maio-junho, p. 75-79, 2005.

GOUVEIA, V. A natureza motivacional dos valores humanos: evidências acerca de uma nova tipologia. Estudos de Psicologia, v.8, n.3, p. 431443, 2003.

GUIMARÃES, S. E. R; BORUCHOVITCH, E. O estilo motivacional do professor e a motivação intrínseca dos estudantes: uma perspectiva da Teoria da Autodeterminação. Psicologia: Reflexão e Crítica, v.17, n.2, p.143-150, 2004.

HERZBERG, F. One more time: How do you motivate employess. Harvard Business Review – Business Classics, p.13-22, 1986.

JOHNSON, S.K.; DAVIS, J.L.; RATE, C. Intrinsic and extrinsic work motivators: implications for the incoming air force officer workforce. In: Academy Of Human Resource Development Conference. AHRD, Honolulu, Hawai, 27 fev-3mar 2002.

JOSEPH, C.; GANESH, A. Motivation for flying in military aircrew: a review. Indian Journal of Aerospace Medicine, v.49, n.2, p.57-67, 2005. HERZBERG, F. One more time: How do you motivate employess. Harvard Business Review – Business Classics, p.13-22, 1986.

KELLETT, A. Motivação para o combate. Rio de Janeiro: Biblioteca do Exército, 1987.

KOMINIS, G; EMMANUEL, C. R. The expectancy-valence theory revisited: Developing an extended model of managerial motivation. Management Accounting Research, v.18, p.49-75, 2007.

LAGUARDIA, J.G.; RYAN, R.M. Buts personnels, besoins psychologiques fondamentaux et bien-être: théorie de l’autodétermination et applications. Revue québécoise de psychologie, v.21, n.2, p.281-304, 2000.

MALHOTRA, N. Pesquisa de marketing: uma orientação aplicada. Porto Alegre: Bookman, 2001.

MARRERO, J.M. Managing and motivating by rewards. Military Review, v.80, p.72-73, 2000.

MASLOW, A. H. Motivation and personality. New York: Harper & Row, 1970.

MINISTÉRIO DA DEFESA, EXÉRCITO BRASILEIRO, GABINETE DO COMANDANTE. Portaria no 657, 04 de novembro de 2003. Disponível em: www.exercito.gov.br.

MOTTA, Fernando Cláudio Prestes; VASCONCELOS, Isabella F. Gouveia de. Teoria geral da administração. São Paulo: Pioneira Thomson Learnig, 2006.

PAPANASTASIOU, E. C; ZEMBYLAS, M. Job satisfaction variance among public and private kindergarten school teachers in Cyprus. International Journal of Educational Research, v.43, p.147-167, 2005.

PLÁCIDO, C.H.S. A influência da moral da tropa no poder relativo de combate: aplicabilidade no Exército Brasileiro. Dissertação de Mestrado não-publicada, Escola de Comando e EstadoMaior do Exército, Rio de Janeiro, 2006.

REGO, A.; TAVARES, A.I.; CUNHA, M.P.; CARDOSO, C.C. Os motivos de sucesso, afiliação e poder: perfis motivacionais de estudantes de graduação e pós-graduação e sua relação com níveis remuneratórios. Psicologia: Reflexão e Crítica, v.18, n.2, p.225-236, 2005.

ROBBINS, Stephen P. Comportamento Organizacional. Rio de Janeiro: LTC, 1999.

SELLTIZ, C.; WRIGHTSMAN, L. S.; COOK, S. W. Métodos de Pesquisa nas Relações Sociais. São Paulo: E.P.U. / EDUSP, 1974.

SIEVERS, Burkard. Beyond the Surrogate of Motivation. Organization Studies, 1986, 7/4, p.335351.

SKELTON, I. Inspiring soldiers to do better than their best. Military Review, v.76, p.64-71, 1996.

SOBRAL, D.T. Motivação do aprendiz de medicina: uso da Escala de Motivação Acadêmica. Psicologia: Teoria e Pesquisa, v.19, n.1, p.25-31, 2003.

SPISZER, J. Leadership and combat motivation: the critical task. Military Review, v.79, p.66-70, 1999.

TAVARES, D.P. O moral e sua influência no Poder de Combate: um estudo sobre o estresse e a performance das unidades militares. Dissertação de Mestrado não-publicada, Escola de Comando e Estado-Maior do Exército, Rio de Janeiro, 2006.

TSAI, P. C; YEN, Y; HUANG, L; HUANG, I. A study on motivating employees' learning commitment in the post-downsizing era: Job satisfaction perspective. Journal of World Business, v.42, p.157-169, 2007.